Som

Amanda Amado – Juro que tentei mudar (single)

amanda amado_juro q tentei mudar.jpg

Está no ar o novo a single da cantora e compositora Amanda Amado.

“Juro que tentei mudar” é um samba que tive o prazer de compor em parceria com ela. É uma das faixas do EP “Rara” que sai completo em breve.

Anúncios

Sávio – Pista (single)

savio pista_04.jpg

Foi lançado no dia 8/5 meu primeiro single, “Pista”, nas principais plataformas digitais.

Sigo no Hip-Hop, como Produtor e MC. Para esse ano ainda, outras músicas e projetos em parceria. Agradecimento aos que participaram da produção desse trabalho e que seguem contribuindo na minha formação artística.

Foto: Amanda / Amanda Soares Amado
Capa: Felippe Xyu
Mix/Master: DJ THAG / Thag De Araújo

Curtam a página no Facebook, tudo disponível lá.

 

Trilha sonora – Solo de dança “Metamorfose”

Aline Festival 44

As notícias que chegam da Europa são de que a trilha sonora do solo de dança “Metamorfose”, produzida por mim e meu irmão Thales de Araújo, estão recebendo boas críticas por lá. Muito animador ver o trabalho reconhecido mundo afora!

No dia 5 de março foi o a estréia internacional do solo no festival “Dferia” na cidade de San Sebastián/ Espanha. A estréia nacional foi no festival “Dança em Transito” na cidade do Rio de Janeiro no fim do ano passado.

Parabéns à bailarina Aline Corrêa pelo trabalho desenvolvido e a todos os demais envolvidos na realização da obra.

RAP PORTUGUÊS E RAP BRASILEIRO

Uma das cruzadas do Rap produzido fora dos Estados Unidos é conseguir metrificar o idioma local. Não é difícil perceber que o Português é uma língua mais complexa que o Inglês. Isso faz com que criar um flow confortável (para os rappers e o público) por aqui seja mais difícil. Ontem o Alex Gr me mostrou essa faixa do REGULA e o DILLAZ e a reação foi imediata: esse nível de domínio de Rap só poderia mesmo aparecer em um país que fala o idioma há mais tempo. Ao ouvir não há como negar que o artista vem de Portugal, e por isso, chamamos isso de Rap Português. No Brasil isso não basta. Assim como os Estados Unidos, falamos o idioma do país que nos colonizou, mas somos muito diferentes. O trabalho atual dos (verdadeiros) produtores e MCs brasileiros é o de, assim como nos EUA, criar um idioma próprio para as rimas cantadas no nosso território.

Dope Sunset

Começando as primeiras incursões no blog sobre pesquisa em música, preparei um set de 20 minutos composto basicamente por Trap, gênero que atualmente tem sido alvo de pesquisa intensa dentro da MARTE e que ainda vai render mais postagens por aqui.

Os artistas escolhidos são alguns dos que compõem a cena atual em uma linhagem mais “clean”:

Aminé – GoldLink – Schoolboy Q – Kanye West –  Drake – KAYTRANDA